segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Oscar Niemeyer





























BIOGRAFIA

1907 - Nasce no Rio de Janeiro.1922Matricula-se no Colégio dos Barnabitas Santo Antônio Maria Zaccaria.
Oscar Niemeyer aos 5 anos.
" Nasci em Laranjeiras, na Rua Passos Manuel, rua que depois recebeu o nome do meu avô Ribeiro de Almeida, então Ministro do Supremo Tribunal Federal. Uma rua íngreme, tão íngreme que até hoje me espanta como a corríamos de cima para baixo jogando futebol."

1928 - Niemeyer conclui o curso secundário.Casa-se com Annita Baldo.

1929 - Matricula-se na Escola Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro.

"Em 1928, me casei com Annita Baldo, uma moça bonita, modesta, filha de imigrantes italianos, provenientes de Pádua, perto de Veneza. Nessa época eu não tinha tomado rumo certo, Ao contrário, levava vida boêmia e despreocupada e tudo me parecia bem."

"Depois de casado comecei a compreender a responsabilidade que assumia e fui trabalhar na tipografia de meu pai, entrando depois para Escola Nacional de Belas Artes."

Niemeyer com Annita e sua filha Anna Maria.






1934 - Obtém o diploma de engenheiro arquiteto no Rio de Janeiro.1935Inicia vida profissional no escritório de Lúcio Costa e Carlos Leão.1936No escritório de Lúcio Costa e Carlos Leão participa da equipe do projeto do Ministério da Educação e Saúde.Conhece Le Corbusier e Gustavo Capanema.
Por ocasião de sua formaturana Escola Nacional deBelas Artes.

"Não queria, como a maioria dos meus colegas, me adaptar a essa arquitetura comercial que vemos aí. E apesar das minhas dificuldades financeiras, preferi trabalhar, gratuitamente, no escritório do Lúcio Costa e Carlos Leão, onde esperava encontrar as respostas para minhas dúvidas de estudante de arquitetura. Era um favor que eles me faziam."
1937 - Projeta a Obra do Berço, no Rio de Janeiro.1939Viaja com Lúcio Costa para projetar o Pavilhão do Brasil na Feira Mundial de Nova Iorque.

1940 - Conhece o prefeito de Belo Horizonte Juscelino Kubitschek, que o convida a projetar o Conjunto da Pampulha.

1939 - Lúcio Costa e Niemeyer com representantesda Feira Mundial em Nova Iorque.
Chegando a Nova Iorque com a família e Lúcio Costa, em

1945- Ingressa no Partido Comunista Brasileiro.

1946 - Convidado a dar um curso na Universidade de Yale, nos EUA, tem seu visto de entrada cancelado.
O prefeito JK em discurso, no segundoaniversário de sua administração.

1947 - Obtida a permissão de estada nos Estados Unidos, viaja a Nova Iorque para desenvolver o projeto da sede da ONU.
Niemeyer estuda o projeto da ONU em Nova Iorque, 1947.
1950 - É publicado nos EUA o livro The Work of Oscar Niemeyer, de Stamo Papadaki.
1951 - Projeta os conjuntos Ibirapuera e COPAN, em São Paulo.
1952 - Projeta sua residência na Estrada das Canoas, no Rio de Janeiro.1954Viaja pela primeira vez à Europa, quando participa do projeto para reconstrução de Berlim.

1955 - Funda a revista Módulo, no Rio de Janeiro.Assume chefia do Departamento de Arquitetura e Urbanismo da NOVACAP, encarregada da construção de Brasília.
Niemeyer em visita à União Soviética. Niemeyer com o presidente JK,idealizador de Brasília.
1956 - É encarregado de organizar o concurso para escolha do Plano-piloto de Brasília, participando também da comissão julgadora.
Com Lúcio Costa, autor do projetovencedor em Brasília.

1957- 58 - Projeta o Palácio da Alvorada em Brasília e os principais prédios da Nova Capital.1961Publica Minha experiência em Brasília.
Com o presidente JK e o engenheiro IsraelPinheiro, apresentando a maquete doPalácio da Alvorada, em 1957.

1962 - É nomeado coordenador da Escola de Arquitetura da recém criada UnB.Viaja ao Líbano para projetar a Feira Internacional e Permanente.1963É nomeado membro honorário do Instituto Americano de Arquitetos dos Estados Unidos.1964Viajando a trabalho para Israel, é surpreendido pela notícia do golpe militar no Brasil.Retorna ao país em novembro, quando é chamado pelo DOPS para depor.
Niemeyer recebe o prêmio Lênin da Paz, em solenidade na UnB, 1963. À mesa, Niemeyer, o representante soviéticoD. Skobeltsim, Darcy Ribeiro.
É nomeado membro honorário da Academia Americana de Artes e Letras e do Instituto Nacional de Artes e Letras." Mas durante a ditadura, tudo foi diferente. Meu escritório foi saqueado e o da revista Módulo, que dirigia, semi-destruído. Meus projetos pouco a pouco começaram a ser recusados. "Lugar de arquiteto comunista é em Moscou ",desabafou um dia à imprensa o Ministro da Aeronáutica. "

1965 - Retira-se da Universidade de Brasília com mais 200 professores, em protesto contra a política universitária.Viaja à Paris para a exposição de sua obra no Museu do Louvre.1966Publica o livro Quase memórias: Viagens.1967Impedido de trabalhar no Brasil, decide se instalar em Paris.


1968 - Projeta a sede da Editora Mondadori, na Itália, e desenvolve diversos projeto para a Argélia.
1969 - Na Argélia, projeta a Universidade de Constantine.1970Em protesto contra a guerra do Vietnã, desliga-se da Academia Americana de Artes e Ciências. 1972 - 73Em Paris, abre seu escritório nos Champs Elysées, em Paris.Acompanha a exposição sobre sua obra na Europa.
Niemeyer apresenta maquete do primeiroprojeto do partido Comunista Francês. Em seu escritório, com a maquete do primeiro projeto para a Mondadori.

CONTEXTO HISTÓRICO/POLÍTICO

No início da década de 1950, São Paulo reunia características específicas que tornaram possível a verticalização da cidade, de um modo geral, e a constituição do escritório paulista de Niemeyer com a realização das obras analisadas para o BNI, em particular. É nessa época que as construções de arranha-céus e melhoramentos urbanos expressam fisicamente o projeto da sociedade paulistana de consolidar sua auto-imagem como uma grande metrópole de destaque no cenário nacional.


A publicidade a cerca dos novos edifícios incluindo os festejos do Quarto Centenário que foram reflexos e, ao mesmo tempo, responsáveis pela disseminação deste imaginário revela a maneira como os paulistanos viam e imaginavam sua própria cidade. Entre outras coisas, trata-se de um período no Brasil de valorização das artes nacionais e influências européias dos arquitetos imigrantes especialmente no cenário paulista.
Para compreender as obras em questão e os motivos que levaram a formação do escritório-satélite de Oscar Niemeyer em São Paulo, é preciso antes de tudo compreender o momento que a primeira metade da década de 1950 representa dentro da carreira de Niemeyer.


"A opção estética de Brasília foi uma grande aposta. Por um lado foram conservadores ao deixar todo o projeto na mão de dois homens, cada qual com sua alçada, Lúcio Costa e Oscar Niemeyer. Assim diminuiram o risco de falta de harmonia. Por outro lado incentivaram-los a montar uma estética que em tal escala “nunca antes neste país” havia sido feita. Nem nunca antes em lugar algum. A aposta era que estaria sendo inaugurado um novo estilo, uma marca de modernidade para o Brasil, pela aura de país do futuro. Enquanto a URSS e os EUA testavam armas atômicas, disputavam a corrida espacial e colocavam os primeiros astronautas em órbita o Brasil construia Brasília. Era um outro mundo."

TECNOLOGIA e ARQUITETURA


Niemeyer abraçou a técnica construtiva do concreto armado. Com concreto armado podem ser feitas estruturas impossíveis sob as técnicas anteriores. O cimento moderno (Cimento Portland) surgiu em meados do século XIX. Com o desenvolvimento de aços mais resistentes nos idos de 1930 surgiu o concreto armado capaz de realizar grandes construções. Eis então que na década de 1950 Niemeyer surge brandindo essa tecnologia em sua arquitetura.

Grande parte da inovação atribuída a Niemeyer vem disso: usar um material construtivo relativamente sem restrições, em uma época que ele era ainda novidade. Sua obra é repleta de experimentação das possibilidades de uma tecnologia nova.



















"Muito da estética dos anos 60 sobreviveu, ficou clássica, como as mini-saias. Muito também ficou irremediavelmente datado, como os carros rabo-de-peixe imitando foguetes. A estética de Niemeyer não está nem em um extremo nem em outro. Mas algo dela ficou presa naquele passado. As obras de Niemeyer dos últimos anos não conseguem deixar de mostrar uma defasagem com relação a arquitetura atual, defasagem que o faz parecer datado, sem modernidade. Chama atenção, por exemplo, o contraste entre o Museu Oscar Niemeyer de Curitiba e o Museu Guggenheim de Bilbao, de Frank Gehry. O projeto de Curitiba decididamente tem aparência mais antiquada, embora tenha sido inaugurado em 2002, cinco anos depois da inauguração do Guggenheim de Bilbao."




























"Especificamente, as falhas de Niemeyer são:
1. Não envolve o projeto com o que o cenário natural, virgem, lhe proporcionava;
2. Não faz uso de vegetação ou paisagismo, pelo contrário, arranca toda a vegetação;
3. Não faz uso de materiais locais, que fariam todo o projeto se harmonizar com o contorno: pedras, terra, madeira."



Desconectado do natural
"Niemeyer é geométrico, linhas, curvas e volumes. Não há nada de orgânico em sua obra. Não há nenhuma capacidade de usar a natureza, nem de se integrar à ela, como grandes arquitetos fizeram. As instruções deste arquiteto são para eliminar as árvores, afastar a vegetação, deixar o árido dos horizontes nus para que os traços da geometria euclidiana apareçam. Nisso ele manifesta o crime da civilização ocidental, trazida a nós desde o descobrimento: encarar a mata, os bichos, as águas, as pedras como os imperfeitos, aqueles no caminho do estabelecimento da visão racional e idealizada do homem. (...)Nosso Oscar Niemeyer não (...)conseguiu fazer nada com a natureza além de usar como base para fincar suas formas geométricas extravagantes. Que poderiam estar pousadas em qualquer lugar, desintegradas que são."


(comentários e críticas encontradas em http://simplesmente.com/2008/02/10/niemeyer/)
Acadêmicas: Claudia Bernardi e Grayce Suelem de Lima
Eu, Grayce Suelen de Lima, enxergo a Disciplina de História e Teoria da Arte, da Arquitetura e da Cidade V ministrada pela professora Daniela Pareja Garcia Sarmento no semestre 2008/2 como o momento em que se adotaram diversas metodologias de ensino. As formas mais interessantes no meu ponto de vista foram: a execução do painel de forma abstrata e do desenho a partir de colagem. As apresentações em Power Point penso que são imprescindíveis e são interessantes também.
Quanto ao conteúdo abordado a formação e evolução histórica da arquitetura e das cidades brasileiras nos períodos da Colônia e do Império foram bem ilustradas através da viagem que fizemos a São Francisco, visualizando suas tipologias construtivas. Os pioneiros da arquitetura moderna no Brasil estudados foram Lúcio Costa, Oscar Niemeyer, Rino Levi, Lina Bo Bardi, Affonso Eduardo Reydi e Vilanova Artigas. Ao mesmo tempo que percebemos suas inclinações às derivações dos movimentos, podemos analisar o engajamento destas figuras no contexto social do país, tendo neste aspecto uma grande lição de que o profissional arquiteto pode e deve intervir nas questões do desenvolvimento do país, no tocante de sua formação.














































































































































































































































































































24 comentários:

Silvia disse...

Niemeyer é um arquiteto de grande nome nacional e internacional. Sua arquitetura com o concreto armado fazem parte de suas obras. Ele trabalha bastante a monumetalidade, grandes dimensões, é geométrico com as formas mais talvez não se importe tanto com a relação ao entorno. Não procura usar os materias da região, não se preocupa da relação com a natureza (ventos e insolação), apenas faz a sua forma.
Silvia Garcia

arquitetura brasileira V disse...

Oscar Niemeyer é reconhecido principalmente pela ousadia das formas. Focado apenas nas linhas, curvas e volumes, o arquiteto não integrava o cenário natural em seus projetos, não fazendo uso do paisagismo e sem se preocupar da harmonia com o entorno, ele permitia que somente aparecesse os traços da geometria no horizonte. A escala monumental e o domínio do concreto armado fizeram com que Oscar Niemeyer construísse grandes e imponentes obras reconhecidas mundialmente.

Juciane Thais Ferreira

Maiara disse...

Niemeyer quase que despensa os comentários, suas formas curvas, inspiradas nas curvas da mulher brasileira, sua intimidade com o concreto aparente e as obras reconhecidas mundialmente. O que achei interessante neste texto postado pelas colegas foi a forma como abordaram alguns pontos fracos das obras de Niemeyer, principalmente o “desconectado da natureza”, que concordo, e é claramente observado em uma de sua principais obras, nossa capital federal, Brasília. Parabéns pela atitude!!

arquitetura brasileira V disse...

Outro ponto não levantado a respeito de Niemeyer no meu ponto de vista é a contradição, ele defende uma sociedade igualitária, mas sua arquitetura não representa isso, é intimista e monumental, e extremamente etilista.

Carolina Mara de Amorim

arquitetura brasileira V disse...

A originalidade e a imaginação que Niemeyer revelou nos seus trabalhos lhe deram a reputação de líder da arquitectura moderna. Embora altamente variado, o seu trabalho inclui sempre um enorme espaço vazio integrado em formas extraordinárias.

Fabieli

bina disse...

Conhecido principalmente por suas curvas em puro concreto armado, é o principal arquiteto brasileiro. Porém é um arquiteto que trabalha muito em cima de sua obra e esquece um pouco do entorno, suas obras, poucos que já visitei, se tornam frias e parecem esquecer do homem que a frenquenta.

Sabrina Fabris

Suélen Weiss disse...

O que faz de Niemeyer um arquiteto tão significativo para a arquitetura brasileira num panorama internacional não são só as suas obras, mas a maneira como chegou à elas; ele ousou uma entrega ao seu ofício, como um trabalho prestado para o bem da humanidade; aceitou trabalhar de graça no escritório de Lúcio Costa, porque acreditava que lá poderia fazer a arquitetura que acreditava ser a correta, com princípios e objetivos bem delineados, mas não necessariamente a mais comercial.
Que saibamos nós ter também esta "entrega", para criarmos uma arquitetura brasileira de grande valor para o próximo século.

arquitetura brasileira V disse...

Foi pioneiro na exploração das possibilidades construtivas e plásticas do concreto armado.
ele é ousado e esplora todas as formas como por exeplo a forma do corpo de uma mulher que ele mesmo cita.

Juliana Caetano

Joana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Joana disse...

Mestre da Arquitetura Brasileira, Niemeyer, deixa a desejar em alguns pontos. Como foi citado no texto das colegas: a falta de integração com a natureza; a funcionalidade não muito bem resolvida.
O Edifício Copan, por exemplo, situado em São Paulo, com sua forma sinuosa, suas dimensões colossais e sua escada de incêndio, helicoidal, que serve apenas como elemento decorativo, pois a sua funcionalidade pode ser questionada - uma pessoa fugindo de um incêndio, pela velocidade crescente de seu deslocamento, provavelmente será lançada ao espaço por sobre a ligeira grade que forma o guarda-corpo.

Dayse disse...

A arquitetura de Oscar Niemeyer deveria servir de inspiração à todos nós, estudantes de arquitetura e arquitetos profissionais, para que o ato de projetar não seja apenas técnico, mais que possa contar com inspirações, liberdade no traço, tornando assim o projeto ainda mais exclusivo e original.

Flávia disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
arquitetura brasileira V disse...

Niemeyer é geométrico, linhas, curvas e volumes. Não há nada de orgânico em sua obra.
Niemeyer também abraçou a técnica construtiva do concreto armado.
As obras de Niemeyer dos últimos anos não conseguem deixar de mostrar uma defasagem com relação a arquitetura atual, defasagem que o faz parecer datado, sem modernidade. Chama atenção, por exemplo, o contraste entre o Museu Oscar Niemeyer de Curitiba e o Museu Guggenheim de Bilbao, de Frank Gehry.

Daniela Grimm

arquitetura brasileira V disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
arquitetura brasileira V disse...

Admiro a genealidade de formas e criação de Niemeyer, porém deixa a desejar quando se trata da sua falta de integração com a Natureza, que atualmente é tão falada e discutida. Também concordo com os colegas que falaram da sua contradição de ponto de vista, já que ele representa uma arquitetura monumentalista e individualista, enquanto defende uma sociedade igualitária.

Samantha

arquitetura brasileira V disse...

Niemeyer foi sim um arquiteto inovador, ousado, criou formas que surpreenderam e causaram discussões, uma arquitetura brasiliera, porém não dando a devida importância de sermos um país tropical,quente e úmido, creio que pela pouco importância que se dava ao assunto na época.
Clarissa Anrain

arquitetura brasileira V disse...

Oscar Ribeiro de Almeida de Niemeyer Soares Filho é um arquiteto brasileiro, considerado um dos nomes mais influentes na Arquitetura Moderna internacional. Foi pioneiro na exploração das possibilidades construtivas e plásticas do concreto armado. Ele tem sido exaltado pelos seus admiradores como grande artista e um dos mais importantes arquitetos de sua geração. Seus detratores o acusam de ser ingênuo frívolo e contraditório. Ironicamente, estes últimos deram-lhe a alcunha de "arquiteto oficial", graças ao seu grande prestígio junto aos políticos. Seus trabalhos mais conhecidos são os edifícios públicos que desenhou para a cidade de Brasília e o MAC de Niterói.

Anne Wetzstein Schumann

arquitetura brasileira V disse...

"Não é o ângulo reto que me atrai, nem a linha reta, dura, inflexível, criada pelo homem. O que me atrai é a curva livre e sensual, a curva que encontro nas montanhas do meu país. No curso sinuoso dos seus rios, nas ondas do mar, no corpo da mulher preferida. De curvas é feito todo o universo, o universo curvo de Einstein." A essência da conhecida frase do arquiteto está presente em todas as suas obras: a curva. Juntamente com o concreto armado (tecnologia dominada por ele), Niemeyer faz suas suntuosas obras. Dono de famosos e conhecidos croquis, o arquiteto falha ao não integrar seus projetos com entorno.

Débora G. Stiegemeier

arquitetura brasileira V disse...

A arquitetura de Oscar Niemeyer é capaz de falar por si só. O principal arquiteto brasileiro se destaca pela criação de suas formas curvas e pela originalidade de seus projetos que são de extrema importância a nossa história da arquitetura. Possui concepções cada vez mais livres e ousadas utiliza o concreto para moldar as formas inovadoras e com perfeição estrutural.
Renata R. Lucena

arquitetura brasileira V disse...

Ele difundiu a técnica do concreto armado, dando asas a imaginação de toda uma geração que estava por vir. Diferente dos demais arquitetos acima, Niemeyer não levava em conta o cenário natural em que a edificação se inseria, não valorizando a natureza e os materiais de nosso país.
Aamanda Perin

arquitetura brasileira V disse...

É possível identificar a arquitetura de Oscar Niemeyer analisando alguns pontos. Obras grandes, ousadas, monumentais, de variadas formas geométricas, de concreto armado, descatando-se do local onde está implantada, sem relaçao com o entorno e nem com o homem, estas poucas palavras definiriam o estilo Niemeyer. As mesmas lhe dão o título de um dos grandes arquitetos de renome nacional e internacional.
Caroline de Moura

Carlinha disse...

Niemeyer ficou conhecido por suas obras monumentais, trabalha muito com concreto aramado e umas das caracteristicas que mais me chama a atenção é que apesar de estar a muitos anos projetando sua arquitetura tem sempre uma visão moderna. Com certeza trabalha com uma tendencia muito marcante na história.

arquitetura brasileira V disse...

Falar de Niemeyer é fácil, o mestre da arquitetura brasileira, conhecido por suas obras monumentais, que marcam a paisagem em que se insere. Niemeyer se preocupa basicamente com a forma da edificação. Concordo com o que ja foi comentado sobre a falta de integração com o entorno, e considero válido este questionamento, porém Niemeyer se destaca pela originalidade e espontaneidade. Sua obra pode ser reconhecida facilmente. É marcante e fascinante.

JANINE

arquitetura brasileira V disse...

Oscar Niemeyer mestre da arquitetura brasileira, conhecido por suas ousadas obras em concreto armado, as quais impressionam e geram muitas discussões. Com suas obras parece até que tudo é possivel na construção civil, transmitindo para nós estudantes de arquitetura inspiração.

Patricia